eu, Lekan

SOBRE A VIDA E SOBRE AMAR

o tempo está passando

São Paulo, Brasil

Dizem que quem é vivo sempre aparece, né?! E olha eu aqui! Em agosto apareci para dizer que havia lembrado que tinha um blog, agora estamos em dezembro e parece que esqueci novamente. A verdade é que não sei qual foi a última vez que sentei para escrever e isso me deixa triste porque é algo que me faz muito bem. 

Hoje parei para ler uns blogs que gosto e lendo o blog da Manie me deparei com a seguinte frase em um de seus textos: "parece que eu mesma me afasto de coisas que me aproximariam de mim. que doido, né?" e caramba, eu não poderia ter me identificado mais com isso, pois esse está sendo um sentimento constante por aqui. Há muito tempo. Tá tudo tão doido que eu sequer sei os dias da semana em que estamos, já é sexta-feira e na minha cabeça ainda estávamos na terça e toda semana isso se repete. 

A sensação que tenho é que o tempo está passando e eu estou ficando para trás, como naqueles "efeitos especiais" malucos que o cenário se move e o objeto fica parado com uma falsa sensação de movimento. E nessa ilusão de que também estou em movimento, eu vou deixando pra trás tudo aquilo que é importante pra mim e que poderia me ajudar a andar junto com o cenário. Parece que às vezes fugir de si mesmo é uma defesa inconsciente para não ter que lidar com sentimentos conflituosos, mas chega um momento que a gente precisa parar de fugir, aceitar esses sentimentos e o que vier com eles. 

No texto "o que dois mil e vinte fez com o tempo", a Manie fala sobre como o tempo cura, sobre como algumas coisas que nos aterrorizavam antes, hoje seriam resolvidas de uma forma muito simples. Mas o tempo está diferente.

"desde que a quarentena começou, entretanto,  o tempo teve que se apressar para curar um montão de coisas. tem sido muita frustração para ele amenizar e muito frustrado para afagar. ele, o tempo, mudou. e, com isso, nossa percepção sobre ele também não é mais a mesma." - Manie

Quando li o trecho acima, me veio uma torrente de pensamentos sobre tudo o que vem acontecendo dentro de mim nos últimos meses. O tempo curou muitas coisas, mas nesses dias sombrios ele também me trouxe muitas angustias antigas com as quais eu lidava muito bem e agora já não sei mais como lidar. Trouxe inseguranças já resolvidas e outras que antes sequer haviam passado pela minha cabeça. Me  vejo sofrendo por coisas que nunca me importei e ao mesmo tempo não me importando com situações que antes me fariam tremer. O tempo está me obrigado a me reconhecer diariamente porque cada dia eu sou uma pessoa diferente. 

Não sei o que esperar dos próximos dias e na verdade prefiro não esperar muita coisa. Só quero poder me reconectar comigo mesmo, voltar pros hábitos que me fazem bem, continuar me reconhecendo, parar de fugir de mim e do que me aproxima da minha melhor versão, e talvez tentar andar com o cenário. 

Deixo ao fim desse post o meu agradecimento à Manie por colocar em palavras muitos dos meus sentimentos e uma frase do livro "Todo Dia" do David Levithan, que é exatamente o que resumiria esse post todo e todos os meus sentimentos nesse momento. 

"Se tem uma coisa que aprendi, é isso: todos nós queremos que tudo fique bem. Nem mesmo desejamos que as coisas sejam fantásticas, maravilhosas ou extraordinárias. Satisfeitos, aceitamos o bem, porque, na maior parte do tempo, bem é o suficiente." - David Levithan

 Um abraço apertado e um sorriso sincero! ✨

Comentários

Postar um comentário

Form for Contact Page (Do not remove it)

Nome

E-mail *

Mensagem *

Latest on Instagram

Latest on Pinterest